quinta-feira, 12 de janeiro de 2017

Carros e baterias inteligentes são itens mais desejados por brasileiros

Os smartphones serão o item mais influente neste ano — produtos ou serviços que serão muito comentados pelas pessoas —, seguido por baterias inteligentes (sem a necessidade de conexão por fio), de acordo com pesquisa encomendada ao Datafolha pelo IEEE (Instituto de Engenheiros Eletricistas Eletrônicos), organização mundial dedicada ao avanço da tecnologia), sobre as principais tendências tecnológicas para 2017




Itens mais desejados

A pesquisa do Datafolha também avaliou os itens mais desejados pela população para 2017 e todas as faixas etárias apontaram as baterias inteligentes como o principal desejo, com 25% das respostas. A locomoção ocupa o segundo e o terceiro lugar: carros inteligentes, com Wi-Fi, GPS, controle remoto de fábrica, etc.) receberam 22% e os veículos elétricos ficaram com 21% das preferências. Mais abaixo vêm as tecnologias mais inteligentes para a segurança doméstica (16%) e robôs para uso pessoal (14%), entre outros itens.

As variações regionais também se verificaram em relação aos itens mais desejados: baterias inteligentes lideram as preferências na região Centro-Oeste/Norte (29%), seguida da região Nordeste (27%), Sul (24%) e Sudeste (23%). Enquanto o desejo pelos caros elétricos variava pouco de região a região (entre 20% e 22%), os carros inteligentes tiveram respostas regionais menos homogêneas: 26% na região Centro-Oeste/Norte, 22% no Sudeste, 21% no Nordeste e 17% no Sul.

Itens supérfluos

A pesquisa do Datafolha também avaliou a opinião dos brasileiros sobre os itens que serão mais supérfluos em 2017, com os telefones fixos (seja em residências ou escritórios) liderando as opiniões com 36% (entre jovens de 16 a 24 anos esse índice sobe para 38%). Em seguida, com 29% das respostas, vêm os computadores de mesa, seguidos das câmeras fotográficas digitais (24%). A primeira e a segunda tendência, segundo constatou a pesquisa, são mais fortes entre os entrevistados de maior poder aquisitivo e de mais alta escolaridade. Segundo o IEEE, esses três itens podem estar associados ao uso cada vez maior dos celulares, hoje capazes de substituir todas essas funções em um só aparelho e com alto padrão de qualidade.

Novamente a faixa etária influencia as preferências: os entrevistados acima dos 60 anos são os que menos rejeitam os telefones fixos (28%), os computadores de mesa (19%) e as câmeras fotográficas digitais (12%), em contraste com os mais jovens, entre 16 e 24 anos, que rejeitam esses itens, respectivamente com 38%, 37% e 28%.

Nesta pergunta, porém, os resultados regionais apresentam respostas diferentes. A rejeição ao telefone fixo, por exemplo, é de 43% na região Centro-Oeste/Norte, 38% no Sudeste, 35% no Nordeste e 24% no Sul. Já o computador de mesa é rejeitado por 34% dos entrevistados na região Sudeste, 26% no Centro-Oeste/Norte e 24% no Sul e no Nordeste.
Fonte:http://idgnow.com.br


Veja Mais:
 

Nenhum comentário: